quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A greve...



Ontem houve greve. Os funcionários públicos (e alguns privados) aderiram em massa. Não se pode dizer que o país tenha parado mas houve algumas paralizações. E a minha pergunta é: o que mudou?

Quem me conhece sabe que eu não gosto de greves, pelo menos da forma como são feitas no nosso país. Reparem nisto: quais foram as consequências mais graves da greve de ontem? Algumas pessoas chegaram atrasadas ao trabalho por causa da greve dos transportes, o que é chato, admito, mas não me parece que tenha tido consequências trágicas. Não houve aulas em algumas escolas, o que deve ter deixado milhares de alunos felizes da vida. Desconheço a adesão no sector da justiça, mas pelo que me disseram pessoas que lá trabalham, não foi assim tão grande. Terá tido consequências mais graves na saúde: consultas e cirurgias adiadas, centros de saúde desertos, etc. Por um dia, o país foi um quase caos. Mas não para o governo, que era contra quem se estava a protestar. O governo continuou a funcionar como de costume, continuou a trabalhar como de costume e, acima de tudo, poupou milhões de euros ao não pagar o ordenado de milhões de funcionários públicos durante um dia. Exactamente, esta greve até beneficiou o governo! E volto a perguntar: o que mudou? Nada. Para que serviu esta greve? Nada. Hoje vai toda a gente trabalhar outra vez e está tudo na mesma. Perderam tempo e dinheiro por nada.

Há uns anos atràs houve em Portugal uma greve dos camionistas. Durou apenas três dias, mas bastou para instalar o caos no país: os hipermercados começaram a ficar sem stocks, bombas de gasolina sem combustível, etc. No final, os camionistas conseguiram negociar com o governo. Há uns anos em França, fez-se uma greve geral devido a uma nova lei respeitante ao contrato de trabalho; a greve durou mais de um mês: universidades paradas, transportes em caos, etc. O governo voltou atràs e essa lei acabou por não ser aplicada. Uma greve por uma causa específica e com uma duração considerável pode ter alguns resultados. Mas uma greve simplesmente porque se está descontente com o governo, sem um motivo ou uma exigência específica, não serve para grande coisa.

Meus senhores: a fazerem greve, façam-na bem. Lutem por uma causa bem definida. Não desistam. Mostrem que estão a falar a sério. Fazerem como fizeram ontem é uma perda de tempo. E de dinheiro.


2 comentários:

  1. O ano a que te referes em relação aos camionistas foi 2008, em Junho. Foi de facto um caos!

    Quanto à greve de ontem, no meu trabalho tudo igual...eu trabalhei e todos trabalharam. E de facto a greve de ontem não mudou nada, absolutamente nada. Greves por tempo indeterminado sim causam o pânico no governo. Mas cá o povo do burgo é muito brandinho...1 dia e tá bom!

    ResponderEliminar
  2. Exactamente, Filipe. É isso mesmo que eu penso.

    ResponderEliminar