sábado, 31 de dezembro de 2011

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL!!!

E deixo-vos aqui um clássico de Natal da música portuguesa. Feliz Natal 2011 para todos!

domingo, 11 de dezembro de 2011

"Smile": várias versões da mesma música

A canção "Smile" é mundialmente conhecida. Normalmente é atribuída a Charles Chaplin, mas a verdade é que ele nunca a cantou.

A música, composta pelo próprio Chaplin, foi ouvida pela primeira vez no filme MODERN TIMES (1936), do qual ele era protagonista. O que ouvimos aqui é uma versão instrumental, para a qual ainda não existia título nem letra.



Em 1954, John Turner e Geoffrey Parsons escreveram a letra e a música foi cantada pela primeira vez por Nat King Cole.



Ao longo de várias décadas, vários artistas cantaram esta música. Em 1991, a filha de Nat King Cole, Natalie Cole, cantou-a num álbum de tributo ao pai.



Uma das versões mais conhecidas é a de 1995, cantada por Michael Jackson.



O cantor brasilero Djavan gravou a música em português do Brasil em 1995, com o título "Sorri".



O elenco da série GLEE cantou esta canção num episódio que foi para o ar em 2009.



A cantora porto-riquenha La India cantou, em 2010, uma versão salsa desta música como tributo a Michael Jackson.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Plágios na música portuguesa

Foi ao ler um post no blogue "Piolho Sintético Contra-Ataca" que me apercebi disto. Ora ouçam o início desta música dos Daft Punk:



Agoram ouçam esta música de João Pedro Pais, especialmente a partir dos 17 segundos.



A semelhança é óbvia, não é? O outro exemplo dado no blogue acima indicado é o de uma música de Alanis Morissette, "Your House", plagiada na música "Intervalo", cantada pelos Per7ume e Rui Veloso. Ora ouçam:





Encontrei também no blogue "Plágios na Música Portuguesa" outros exemplos semelhantes.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Vive e deixa viver...

Tradução:
- És contra os casamentos gay? Não te cases com alguém do mesmo sexo.
- És contra os cigarros? Não fumes.
- És contra o aborto? Não o faças.
- És contra o sexo? Não tenhas relações sexuais.
- És contra a droga? Não a tomes.
- És contra a pornografia? Não a vejas.
- És contra o álcool? Não o bebas.
- És contra armas? Não as tenhas.
- És contra tirarem-te direitos? Não tires os direitos aos outros.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Que comam sardinhas...


Diz a lenda que, quando foi dito à rainha de França, Marie Antoinette, que o povo francês não tinha pão para comer, ela respondeu: "Que comam bolo!". Isto, num tempo em que o povo passava fome era muito mais do que elitista, era insultuoso. Hoje sabe-se que a rainha nunca disse tal coisa, mas esta história ficará para sempre associada a ela.

Ora, no discurso que fez ontem, Passos Coelho também não disse estas palavras, mas o que disse não esteve muito longe. Portanto: os funcionários públicos com ordenados superiores a 1000 Euros por mês ficarão sem subsídio de férias e de Natal, assim como os pensionistas. Os do privado trabalharão mais 30 minutos por dia (leia-se mais cerca de 11 horas por mês) de graça.

Daqui salta uma coisa à vista: todas estas medidas aplicam-se somente à classe média. Ouviram-no dizer alguma coisa sobre os bancos? Não. Ouviram-no falar das grandes fortunas? Também não. Sim, porque os ricos não são funcionários públicos. O que se fez daquela ideia de aplicar uma taxa extra às grandes fortunas? Nada. Fingiram que não ouviram. Pois é, meus senhores, para os ricos não há crise. Faz-me lembrar uma música.

Alguém deverá ter dito ao primeiro-ministro: "Mas o povo não vai ter bacalhau para comer no Natal!", e ele terá respondido "Que comam sardinhas!". E vão ter que ser das mais pequenas...

domingo, 11 de setembro de 2011

O meu 11 de Setembro


O dia 11 de Setembro de 2001 é daqueles que poucos esquecerão. Se perguntarem seja a quem for onde estava e o que estava a fazer nesse dia, garanto que quase todos se lembrarão.

Eu tinha 18 anos e tinha acabado o meu 1º ano de faculdade. Nesse dia tinha um exame. O exame terá sido, provavelmente, por volta das 16:00. Eu saí de casa logo depois do almoço. Portanto, no exacto momento em que o primeiro avião foi contra as torres gémeas eu estava ou no metro a caminho da faculdade ou na biblioteca da mesma. Fiz o exame (que não correu nada bem) e, por volta das 18:00, saí da faculdade. Devo ter chegado a casa por volta das 18:30/19:00. Assim que entrei em casa, a minha mãe disse-me o que se tinha passado. Foi apenas nessa altura que eu soube. Nessa noite vi todos os telejornais, em todos os canais que consegui ver. Nos dias que se seguiram, coleccionei jornais (lembro-me que até jornais desportivos fizeram disso capa!).

Na minha vida pessoal, este dia não mudou grande coisa. No mundo, tudo mudou.

domingo, 21 de agosto de 2011

Os meus telemóveis

Já alguma vez pensaram em quantos telemóveis tiveram em toda a vossa vida? Eu pus-me a pensar (é o que faz outras pessoas terem as televisões ligadas e não me deixarem dormir) e cheguei à conclusão que tive, até hoje, 5 telemóveis.

ALCATEL ONE TOUCH EASY DB
Este telemóvel foi comprado em 2000 e, para a altura, era um telemóvel muito bom. Foi o meu primeiro e ainda hoje me lembro de como eu o exibia a toda a gente.

NOKIA 3310
O outro telemóvel acabou por avariar e, nessa altura havia uma campanha para trocar um telemóvel velho por um novo. Eu escolhi este, que me durou até 2004.


NOKIA 2650
O segundo telemóvel funcionava muito bem, mas foi roubado (fui estúpida o suficiente para o deixar no bolso do casaco e ter pendurado o casaco nas costas de uma cadeira enquanto almoçava). De seguida comprei este, que durou cerca de dois anos. As teclas começaram a descolar e o telemóvel começou a partir.


NOKIA 1600
Comprei este telemóvel numa Worten em Portimão. Sempre funcionou muito bem e nunca me deu problemas. Ainda o tenho cá em casa e ainda funciona.


NOKIA 2600 CLASSIC
Este é o que eu tenho hoje. Comprei-o para aí em 2008 porque tinha uns pontos da TMN para gastar. O telemóvel anterior ainda funciona.

sábado, 13 de agosto de 2011

A desculpa da pobreza

Cerca de uma da manhã. Uma jovem dirige-se a sua casa com o namorado quando nota algo de estranho: alguns rapazes entram sorrateiramente dentro de uma escola. A jovem e o namorado desligam as luzes do carro e, imediatamente, ligam para o 112. A polícia chega mesmo a tempo de impedir os rapazes de fazer o que iam fazer: incendiar a escola. Eles conseguiram fugir. Não, isto não se passou em Londres, mas sim em Portugal, na madrugada de hoje. Será que o que se passa em Londres terá tido alguma influência? Certamente. E isso é preocupante.

Os jovens de Londres, creio que a maioria das pessoas concordará comigo, são vândalos e assassinos. São pessoas sem um pingo de decência nem sentimentos, que não respeitam nada nem ninguém. Merecem ser severamente castigados. O que mais me revolta é os motivos que os levam a fazer isso, que são... Quais são mesmo? Ah, pois é: nenhuns. Estes jovens fazem o que fazem por motivo nenhum. Dizem que estão a fazer isto porque são pobres e ninguém se importa. Pois, sabem que mais? Tretas! Tudo tretas!

Eu conheço muitas pessoas pobres. Frequentei, durante anos, uma escola perto de um bairro social, e muitos dos alunos dessa escola viviam lá. Apesar de haver alguns desordeiros (mas a verdade é que também se vê isso em meninos ricos), a maioria dos jovens eram pessoas normais, que viviam a sua vida normalmente. Alguns eram até muito bons alunos! A maioria das pessoas pobres que conheço são pessoas honestas e trabalhadoras, que tentam ter uma vida melhor sem precisarem de destruir a vida dos outros. Sim, porque uma coisa é roubar comida num supermercado porque se está com fome, outra bem diferente é assaltar lojas de telemóveis, incendiar carros e vir à televisão gabar-se do novo plasma que roubaram. Essas pessoas não têm, nem merecem, a minha pena.

Recentemente, li um livro que falava da resistência anti-fascista em Portugal durante os anos 60 e 70. Aquelas pessoas distribuíam panfletos, pintavam mensagens anti-ditadura nas paredes, e faziam reuniões com centenas de pessoas nas Universidades. E quando um estudante foi assassinado, eles não responderam com violência. Intensificaram a luta, pondo em perigo a sua própria vida. E sabem que mais? Resultou. O 25 de Abril chegou e a ditadura chegou ao fim. Estas pessoas lutavam por uma causa em que realmente acreditavam e percebiam que a sua maior arma era a palavra.

Os jovens de Londres não lutam por uma causa justa. Eles não lutam por causa nenhuma. Eles não lutam de todo. Eles matam, roubam, incendeiam e destroem a vida de pessoas tão pobres como eles. Pessoas essas que trabalham honestamente por uma vida melhor. O problema não é a pobreza. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, explicou-o bem:


É exactamente isto que se passa, sem tirar nem pôr. E não venham dizer que é por serem pobres. Não se venham armar em coitadinhos. Fizeram um escolha. Agora têm que sofrer as consequências. Porque ser pobre não é desculpa.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Os vídeos mais vistos do YouTube

Bem, voltei. Em breve regressarei também aos outros blogues.

O YouTube dispensa apresentações. Aqui há dias fiquei curiosa para saber quais são os vídeos mais vistos no YouTube desde que o mesmo existe. Notem que, apesar de este Top 10 incluir apenas videoclips, estes são os vídeos mais vistos de sempre em todas as categorias. Podem verificar também o domínio de um certo miúdo que é, actualmente, o ídolo das adolescentes...

10- "Fireworks"- Katy Perry


9- "Party in the U.S.A."- Miley Cyrus


8- "Never say Never"- Justin Bieber e Jaden Smith


7- "One Time"- Justin Bieber


6- "Not Afraid"- Eminem


5- "On the Floor"- Jennifer Lopez e Pitbull


4- "Love the way you Lie"- Eminem e Rihanna


3- "Waka Waka"- Shakira


2- "Bad Romance"- Lady Gaga


1- "Baby"- Justin Bieber e Ludacris

domingo, 5 de junho de 2011

1º Aniversário

Bem sei que estava num grande intervalo, mas não podia deixar de assinalar o primeiro aniversário deste blogue. Paciência, meus amigos, eu voltarei em breve...

sexta-feira, 4 de março de 2011

GRANDE INTERVALO

Já há muito tempo que não escrevo neste blogue e, a verdade, é que não me tem apetecido fazê-lo. O entusiasmo que sentia ao escrever aqui diminuiu muito e, agora, já não me dá assim muito prazer. Por isso, vou fazer um grande intervalo. Não sei de quanto tempo. Não vou abandonar o blogue definitivamente, mas, durante bastante tempo, não me vão ver por aqui.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

São Valentim e os Feriados


Hoje é dia de S. Valentim. Apesar de, para mim, ser um dia como os outros, desejo a todos aqueles a quem este dia diz alguma coisa, um dia muito feliz! Não era porreiro se este dia fosse feriado?

Por falar em feriados: este ano vamos ter muita sorte; teremos muitos feriados a calhar a sextas ou segundas. Ora vejam só:

- a sexta-feira santa calha a 22 de Abril (uma sexta, claro) e logo a seguir à Páscoa temos o 25 de Abril; 4 dias de mini-férias;

- o 10 de Junho calha a uma sexta e, para os residentes em Lisboa e arredores, o Santo António é logo na segunda a seguir;

- mas os residentes no Porto e arredores que não se desesperem, porque temos o Corpo de Deus no dia 23 de Junho (uma quinta) e no dia a seguir o S. João;

- o dia da Assunção de Nossa Senhora, dia 15 de Agosto, calha a uma segunda;

- o 1 de Novembro calha a uma terça pelo que, se conseguirem fazer uma ponte, têm um fim-de-semana prolongado;

- os dias 1 e 8 de Novembro calham a uma quinta, portanto...;

- para nosso azar, o Natal e Ano Novo calham a um domingo.

Meus amigos, teremos muitas oportunidades para mini-férias. Aproveitemos!

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Parabéns Vitinho!

Hoje, ao entrar no Google, somos logo informados de que o Vitinho faz 25 anos. Como eu gostava de ver o Vitinho quando era miúda! Deio-vos aqui com algumas das músicas do Vitinho ao longo dos anos. Do Vitinho só encontrei estes, mas lembro-me de haver mais...



sábado, 22 de janeiro de 2011

Votar ou não votar: eis a questão...


Este cartoon ilustra bem aquilo que muitas pessoas pensam e fazem. Isto é uma das coisas que mais me irritam.

Amanhã vai haver eleições. Vamos eleger o Presidente da República. E, quase que aposto que, mais uma vez, a abstenção vai ser muita. Pois, este blogue vai agora fazer serviço público. Meus amigos: vão votar! O país está mais que mau, bem sei. Os candidatos não parecem grande coisa, também sei. Mas vão votar. Votem em branco, ponham uma cruz em cada quadrado (voto nulo) ou escrevam "Manel da Esquina para Presidente", mas vão votar! Se votarem, não ganhar quem vocês querem e depois essa pessoa não fizer nada de jeito, podem sempre dizer: "Eh, pá, eu tive razão em não votar neste gajo (ou em branco, ou nulo)!". Se votarem, ganhar quem vocês querem e depois essa pessoa também não fizer nada de jeito, podem dizer: "Olha, votei neste gajo e agora ele só faz porcaria!". Mas, se não votarem, não podem reclamar. Abdicam desse direito.

Bem sei que vou repetir o que se ouve muitas vezes, mas aqui vai. Há muitos países no mundo onde as pessoas não podem votar; essas pessoas dariam tudo para terem esse direito. Os nossos avós não puderam votar durante décadas; nas primeiras eleições depois do 25 de Abril havia filas de quilómetros para votar. E as mulheres que lutaram durante décadas para que outras mulheres tivessem esse direito?

Que uma pessoa como a minha avó paterna, que tem 90 anos e já não se levanta da cama, não vá votar, é perfeitamente compreensível. Que uma pessoa como eu, jovem e de boa saúde, não vá votar porque está a chover, ou frio, ou outra desculpa qualquer, não é sequer admissível (a não ser que tenham uma muito boa razão). Vão votar. Seja em quem for. Mas vão!